CONTATO: valter.roberta.padulla@gmail.com

domingo, 9 de janeiro de 2011

ESTRADA REAL Trecho Cunha

ESTRADA REAL – Caminho Velho – Trecho Cunha (Paraty)

Como já declaramos em outras postagens, adoramos percorrer a Estrada Real, por seus trechos de lindas paisagens, a cultura e as pessoas que existem as margens deste caminho.


Continuando a viagem na Estrada Real – Caminho Velho, que nesta ocasião iniciamos entre a cidade de Guaratinguetá (EM BREVE trecho Guaratinguetá – Cunha no blog.) e Cunha.


Descrição Imagem: Mapa da Estrada Real - Caminho Velho




Este trecho da Estrada Real - Caminho Velho que abrange a região de Cunha possui cerca de 49 km de estrada.


Descrição de Imagem: Mapa rodoviário da Estrada Real - Caminho Velho - Região de Cunha


O exercício de planilhar os marcos da Estrada Real, um a um, tornou-se um jogo de viagem muito gostoso, do tipo “caça ao tesouro”, pois temos que nos manter atentos na estrada e tudo que nos rodeia o tempo todo, para não perdemos nenhum detalhe.


No trecho da região de Cunha encontramos o 1º marco localizado à 22 km de Guaratinguetá e a 25 km de Cunha, no Estado de São Paulo, mas no outro lado da pista, ou seja, na pista de sentido Cunha/Guaratinguetá, , onde informa:

Descrição de Imagem: informação da placa do marco - “O antigo povoado do Facão passou a vila em 1785, com o nome de Nossa Senhora de Cunha e em 1858n é elevada a cidade”

Descrição de Imagem: Roberta no 1º Marco encontrado no trecho da Estrada Real de Cunha

Faltando 24 km para Cunha, encontramos o 2º marco do trecho, mas desta vez no sentido que estávamos Guaratinguetá/Cunha e informava:

Descrição de Imagem: informação da placa do marco - “Em 1650, Domingos Velho Cabral, morador de Guaratinguetá, declarou ter aberto caminho desta vila para o mar, estabelecendo ligação do Facão diretamente com Guaratinguetá”.

Descrição de Imagem: Valter no 2º Marco encontrado no trecho da Estrada Real de Cunha




Uns 3 Km mais para frente, descobrimos o 3º marco do trecho, que continha a seguinte informação:


Descrição de Imagem: "A Estância Climática de Cunha, tem suas origens por volta de 1695. Conhecida como "Boca do Sertão", tornou-se parada obrigatória para descanso e reabastecimento das tropas."

Descrição de Imagem: Beta no 3º Marco da Estrada Real Caminho Velho - trecho Cunha


Verificamos que os marcos não seguem uma ordem de distâncias entre si, uma vez que fomos descobrindo que sua localização pode depender de locais onde existam pontos importantes na paisagem, como fatos ocorridos históricos. Também, por vezes, a distância registrada em suas placas, nem sempre seguem uma sequência.


Como exemplo, o 4º marco do trecho de Cunha, registra a distância de 25,05 km de Cunha, aumentando a distância registrada a quilômetros atrás.

Descrição de Imagem: informação da placa do 4º marco - “Desenvolveu-se por ser ponto de passagem para o Porto de Paraty, do Ouro de Minas Gerias e do café do Vale do Paraíba. T. Maia.” 

Descrição de Imagem: 4º Marco encontrado no trecho da Estrada Real do trecho de Cunha


Vale registrar que a estrada é melhor conservada no trecho da região de Guaratinguetá, pois o asfalto é novo. Mas notamos várias obras ocorrendo neste trecho de Cunha, indicando um futuro benefício a todos.


Descrição de Imagem: trecho da estrada na região de Cunha , em obras



Restando 18 km para a cidade de Cunha, registramos o 5º marco, nele continha a continuação sobre a informação fornecida na placa do 2º marco encontrado neste trecho:

Descrição de Imagem: informação da placa do 5º marco - “O caminho de Domingos Velho Cabral passava pelo território da Freguesia do Facão, vencida a Serra do Quebra Cangalha e atingia a Vila de Guaratinguetá.” 

Descrição de Imagem: 5º Marco encontrado no trecho da Estrada Real na região de Cunha

O 6º marco registrava 16,79 km de distância até Cunha.

Descrição de Imagem: informação da placa do 6º marco - “Ao transpor a Serra da Quebra Cangalha as tropas continuavam a seguir o caminho margeando ribeirões, contornando morros e pequenas colinas até ultrapassarem a bacia do Rio Paraitinga”. 



Descrição de Imagem: 6º Marco encontrado no trecho da Estrada Real do trecho de Cunha


Mais a frente, encontramos o 7º e o 8º marco sem nenhum vestígio de terem possuído as placas informativas.

Descrição de Imagem: 7º Marco encontrado no trecho da Estrada Real – Caminho Velho – Trecho de Cunha



Descrição de Imagem: 8º Marco encontrado no trecho da Estrada Real no trecho de Cunha


Durante toda a viagem, tivemos um tempo típico de verão: sol, mas com alguns momentos de chuva.


Descrição de Imagem: a chuva apontando no horizonte
Ao chegarmos em Cunha, entramos na cidade e demos uma percorrida rápida pelo centro e aproveitamos para rever um amigo de viagem que conhecemos no Deserto de Atacama, no Chile (ver passeio no Deserto no link:...).

Descrição de Imagem: Portal de Cunha


Descrição de Imagem: uma panorâmica da cidade de Cunha

Descrever legenda: Igreja em Cunha

Descrição de Imagem: Centro de Cunha

Após a cidade de Cunha, seguimos viagem rumo a divisa de estado São Paulo e Rio de Janeiro.

Descrição de Imagem: Beta, Valter e Nando dentro do carro


No caminho, a chuva veio chegando mais forte, nos fazendo repensar se desceríamos mesmo a Serra até Paraty, mas para nossa sorte, ela passou por nós e foi embora, deixando apenas em alguns trechos uma garoa fina.


O 9º marco da estrada da região de Cunha, estava parcialmente enterrado na lama devido a um desabamento de terra do barranco próximo ao local.

Por este motivo, ficou difícil registrarmos imagem da placa, mas a informação era a seguinte:
"Arte feita do barro. Equilíbrio e alquimia se fundem na cerâmica artística de alta temperatura que encante o visitante. Técnica japonesa Noborigama. Abertura de fornos com datas móveis nos ateliês da cidade." 

Descrição de Imagem: 9º marco parcialmente enterrado na lama

O 10º marco entrado, fica a uma distância de aproximadamente 26 km após a cidade de Cunha (sentido Paraty).

Descrição de Imagem: informação da placa do 10º marco: "O Parque Estadual da Serra do Mar é o habitat natural da capivara,  anta, paca, onça, quati,  jaguatirica, sagui, bugio, gaviões e papagaios, jacutinga, entre outros." 

Descrição de Imagem: 10º marco da Estrada Real - trecho da região de Cunha



O 11º marco, se encontra a cerca de 28 km passado de Cunha (rumo Paraty) e está localizado próximo a um sitio muito bonito, cheio de hortênsias.


Descrição de Imagem: informação da placa do 11º marco: "Trilha dos Guaianás", Por este caminho os viajantes oriundos do Rio de Janeiro subiam a Serra de Paraty, passavam por um pouso denominado Facão e depois por Guaratinguetá, indo para as minas ou Sertão dos Cataguás." 






Descrição de Imagem: Beta ao lado do 11º marco da Estrada Real no trecho da região de Cunha


 O 12º marco é de dar pena, pois apesar de estar localizado próximo a uma bela cachoeira, ele encontra-se depredado e pichado.


Descrição de Imagem: 12º marco depredado e pichado


Descrição de Imagem: Cachoeira próxima do 12º marco


Encontramos o 13º marco que também encontra-se depredado, sem a seta de marcação da localização e placa é exatamente igual a do 11º marco, até mesmo a distância que está localizado tanto da cidade de Cunha, como a de Paraty. É por estas evidências, que orientamos que as informações contidas nos marcos não são 100% exatas.

 
Descrição de Imagem: informação da placa do 13º marco é a mesma do  11º marco,



Descrição de Imagem: Valter ao lado do 13º marco


O 13º marco é o último encontrado por nós dentro da região de Cunha.


Localizado na divisa de estado de São Paulo e Rio de Janeiro, existe um sítio com uma entrada cheia de hortênsias. Muito lindo!


Descrição de Imagem: entrada do sítio na divisa de estado SP/RJ


Chegamos ao limite de estado SP/RJ, da Estrada Real - Caminho Velho - Trecho Cunha/Paraty. 
Descrição de Imagem: Beta na divisa de São Paulo e Rio de Janeiro, localizado na Estrada Real - Caminho Velho - Cunha/Paraty



Aqui termina o trecho de Cunha e inicia o de Paraty, que adiantamos, se trata de uma grande aventura e poderão vivenciar conosco na postagem Estrada Real - Trecho Paraty  






sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

ESTRADA REAL - TRECHO PARATY

ESTRADA REAL – CAMINHO VELHO

Trecho: Paraty 



Se você é um “seguidor” das aventuras da FAMILIA MORETTI PADULLA, já deve saber que adoramos percorrer trechos da Estrada Real.


Nesta postagem compartilharemos nossos momentos no Caminho Velho – Trecho Paraty

Descrição de Imagem: Mapa da Estrada Real - Caminho Velho - Trecho Paraty
INTRODUÇÃO


Este trecho da Estrada Real da região de Paraty (RJ) possui cerca de 21 km, sendo 10km de trechos de terra e o restante de asfalto. Também possui partes de terreno sinuoso que estão dentro do Parque Nacional da Serra da Bocaina.

No caminho até Paraty há várias cachoeiras, mirantes e muita mata nativa.


OBS: Antes de utilizá-la, orientamos que verifique as condições, pois a ocorrência de trechos interditados é comum, devido a chuvas intensas.

O trajeto é um mergulho no passado, na natureza e aventura.


(parte 1)

Em outubro de 2009, resolvemos comemorar o aniversário da Roberta com uma viagem cujo objetivo principal era o lugarejo de TRINDADE, que pertence a cidade de Paraty.

No retorno para casa, optamos por desbravar um trecho da Estrada Real, que não conhecíamos, Paraty - Cunha.

Descrição de Imagem: Placa de direcionamento da Estrada Real

Nossa primeira parada, numa distância de aproximadamente 8km do trevo de Paraty, foi no local onde existe um totem e um marco da Estrada Real.

Descrição de Imagem: Valter no totem da Estrada real - Trecho Paraty - RJ

Descrição de Imagem: Beta no marco da Estrada Real - Trecho Paraty

Exatamente neste ponto, existe ao alto a Igreja da Penha e a entrada de acesso a queda d’água conhecida como Cachoeira do Tobogã, pois uma pedra grande e escorregadia é usada como escorregador, caindo num pequeno poço. Soubemos que a cerca de 10 metros acima de onde inicia o escorrega, há uma queda d’água onde se pode ficar por trás da cortina de água, numa pequena gruta e uns 100 metros mais acima, existe uma grande piscina natural com águas transparentes e cercada de vegetação nativa, mas não chegamos a ir até lá, pois como havia chovido muito durante a noite, o terreno de acesso estava cheio de lama e muito escorregadio. 

Descrição de Imagem: Igreja da Penha - Paraty

Descrição de Imagem: Cachoeira do Tobogã


Descrição de Imagem: Beta na trilha para a cachoeira do Tobogã

Neste mesmo trecho da estrada, só que do outro lado da pista, o mesmo rio forma mais algumas pequenas piscinas conhecidas como Poços do Penha, contam que elas estão a aproximadamente 400 metros da estrada e que inicia junto ao ponto de ônibus. Ao encontrar a ponte de cimento sobre o rio, suba o leito ou a trilha paralela ao rio para chegar às piscinas mais bonitas. Este local também não conhecemos, pois a trilha barrenta e a garoa fina nos fizeram desistir.

Descrição de Imagem: Vista do outro lado da Estrada


No alto da Serra, paramos num ateliê na beira da estrada, de onde a vista para Paraty é algo deslumbrante! Vale a pena a parada.

Descrição de Imagem: Valter e Roberta e a cidade de Paraty ao fundo

Descrição de Imagem: Beta e Valter no ateliê existente no alto da Serra, no trecho da Estrada Real (Paraty) 

As fortes chuvas do fim de 2008 e do início de 2009 causaram muitos estragos, como quedas de barreiras e grandes buracos, sem contar com pedras e árvores que deslizaram sobre a estrada, não nos permitindo o acesso ao estado de São Paulo e consequentemente a cidade de Cunha, nos obrigando a retornar todo o caminho até Paraty e seguir pela BR-101, no trecho conhecido como Rio-Santos.

Pensamos em qualquer dia desses, retomar esta rota, de onde paramos, apesar de já acessarmos Cunha pelo lado do Vale do Paraíba.

Sendo assim, aguardem a continuação desta postagem.


(PARTE 2)


Em janeiro de 2011, estávamos em casa, quando Valter propôs em tentarmos refazer o trecho da Estrada Real de Paraty, mas desta vez passando pelo trecho Região de Cunha.


O trecho de Paraty tem início na divisa de estado SP/RJ e segue até a cidade de Paraty.


Descrição de Imagem:  Mapa rodoviário da Estrada Real - Caminho Velho - Região de Paraty



Quando paramos para capturar umas imagens da placa da divisa de estado SP/RJ, do marco da área e demais curiosidades, avistamos dois senhores que estavam parados conversando na beira da estrada e perguntamos-lhes como estava a situação do caminho para Paraty. Eles nos informaram que apesar de terem realizado o trajeto a poucos instantes, não nos aconselhavam a seguir, olhando para o nosso carro. Um deles até brincou: - “Se o senhor quiser ir, pode até conseguir, mas corre o risco de chegar sem a frente ou o fundo do carro, pois os buracos e as pedras do caminho são muitos”.

Descrição de Imagem: Beta ao lado da placa da divisa de estado SP/RJ, na Estrada Real
Olhamos um para a cara do outro, pensamos, conversamos e decidimos tentar, na condição se tiver muito ruim, retornamos.


Este local está localizado a 32km de Cunha e a 21km de Paraty e foi exatamente neste terreno que identificamos nosso 1º marco deste trecho da Estrada Real, que trazia a seguinte informação: “Estados do Rio de Janeiro (Paraty) e de São Paulo (Cunha). Limite do Parque Nacional da Serra da Bocaina”.

Descrição de Imagem: 1º marco do trecho Paraty e as placas indicativas de rua interditada


Passado a divisa de SP para o estado do Rio de Janeiro, acaba o asfalto e inicia o trecho de terra, que a cada quilometro percorrido piora a qualidade para o trafego. É uma pena que os governantes de nosso país não tenham uma política pública de valorização e manutenção de nossa história.



(POSTAGEM EM CONSTRUÇÃO)


quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

ESTRADA REAL - CAMINHO VELHO

ESTRADA REAL – CAMINHO VELHO

INTRODUÇÃO

O caminho velho da Estrada Real soma cerca de 630 km do mar (Paraty) às minas (Ouro Preto), passando pelos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.



Descrição de Imagem: Mapa da Estrada Real - Caminho velho

Parte de Paraty corta o norte de São Paulo passando pelas cidades de Cunha, Guaratinguetá e Cruzeiro. Em Minas Gerais, a estrada continua por Passa Quatro, Itamonte e Baependi, Caxambu, São Lourenço e Cambuquira, São Tomé das Letras, Três Corações, São João Del Rei, Congonhas e Tiradentes, para depois completar o Caminho Velho indo até Ouro Branco e Ouro Preto. 

Com muitas histórias para contar, o Caminho Velho foi a primeira via aberta oficialmente pela Coroa Portuguesa com a intenção de fiscalizar a circulação das riquezas e mercadorias que transitavam entre o litoral fluminense e a região mineradora por volta do século XVII, muitas delas já eram utilizadas pelos índios e foram aproveitadas pelos bandeirantes, que buscavam riquezas em Minas Gerais.

O caminho foi usado por imperadores, soldados, mercadores, músicos, aventureiros e intelectuais, que além de produtos, carregavam ideais, como o de se transformar o Brasil em uma república independente.

Mais de trezentos anos depois dessa história, as 38 cidades que compõem o eixo principal do Caminho Velho resgatam para o turista a possibilidade de viver boas experiências.

São localidades que aliam a cultura típica de Minas Gerais, um combinado entre as raízes indígenas, africanas e européias.

Essa riqueza é responsável por atrativos como a arquitetura única de Ouro Preto, a gastronomia reconhecida internacionalmente de Tiradentes, as grandes estâncias hidrominerais do Circuito das Águas e a cultura latente de Paraty. Muito mais que destinos enquadrados em estilos de turismo, o Caminho Velho conta com uma mistura que encanta os viajantes. Da rota de charme à aventureira, há atrativos e caminhos para todos os gostos. 

De uma ponta a outra, o turista pode conhecer praias, montanhas, rios, cachoeiras, cidades históricas, parques ecológicos e atrativos culturais e gastronômicos.

Adoramos esta Estrada Real e aos poucos procuramos conhece-la, sendo assim, iremos compartilhar estes momentos, sempre muito bons.

Sejam bem vindos em mais esta viagem!

ESTRADA REAL


ESTRADA REAL


A Estrada Real foi sendo construída nos muitos anos de idas e vindas, das Minas ao litoral, desde o século XVII, em busca das riquezas. Caminhar pela Estrada Real é reviver os passos e os caminhos percorridos pelos escravos, pelo ouro e pela história. Constituída, ainda, pelas vias de acesso, os pontos de parada, as cidades e vilas históricas que se formaram durante o passar dos homens e do tempo.

Inicialmente, o caminho ligava a antiga Villa Rica, hoje Ouro Preto, ao porto de Paraty, mas pela necessidade de uma via de escoamento mais segura e mais rápida ao porto do Rio de Janeiro e, também por imposição da Coroa foi aberto um "caminho novo". A rota de Paraty passou a ser o "caminho velho", a partir do século XVIII. Com a descoberta das pedras preciosas na região do Serro, a estrada se estendeu até o Arraial do Tejuco (atual Diamantina), deixando Ouro Preto como o centro de convergência da Estrada Real.

Assim se formou o complexo da Estrada Real, ou seja, mais de 1600 km de patrimônio, cercado de montanhas, natureza, cultura e arte. Conhecer a Estrada Real é reviver o passado e a história de Minas e do Brasil.



Descrição de Imagem: Mapa da Estrada Real


A Estrada Real se divide em 3 partes: 

- Caminho Velho que liga Parati a Ouro Preto, 
- Caminho Novo que liga o Rio de Janeiro a Ouro Preto;
- Rota dos Diamantes que liga Ouro Preto a Diamantina. 



No total a estrada se estende por 1.200 km e passa por inúmeras vilas, povoados e cidades. Para falar mais exatamente são 177 municípios, sendo:

- 162 em Minas Gerais;
- 08 no Rio de Janeiro;
- 07 em São Paulo.


2. Marcações da Estrada Real

Sinalização de estradas: Numa parceria entre o Instituto Estrada Real, o Ministério do Turismo e o Governo do Estado de Minas Gerais, foi implantada a sinalização das rodovias que ligam os municípios da Estrada Real.



Descrição de Imagem: Placa de marcação da Região da Estrada Real existente na beira da estrada



Marco: De acordo com a pesquisa realizada, foram identificados trechos que pertenceram a Estrada Real e neles colocados marcos de concreto de identificação, com o objetivo de orientar os turistas.



Descrição de Imagem: Beta num dos marcos da Estrada Real



OBS1. Como interpretar o marco: são instalados, na sua maioria, próximos a bifurcações e sua função é orientar ao turista sobre qual caminho seguir:
- Se a bifurcação for à esquerda e a orientação for para manter-se na estrada principal, o marco estará do lado direito e vice versa.
Foto exemplo
- Se houver a necessidade de entrar em uma bifurcação à direita ou à esquerda, o marco estará na entrada da mesma.
Foto exemplo
- Se existir dupla bifurcação, à esquerda e à direita, haverá duas possibilidades, um marco de cada lado ou o trecho não terá marco, o que indicará que o turista deverá manter-se na via principal.
-marcos também instalados em trechos retos, sem bifurcações, e próximos a atrativos turísticos ou com alguma referencia histórica. 



Descrição de Imagem: Como interpretar o marco



Displays: instalados dentro do perímetro urbano dos municípios, os displays de sinalização da Estrada Real são painéis de 2,6x1,2m. Numa das faces é afixado um mapa com atrativos do local e informações úteis para o turista. Os displays tem o objetivo oferecer informações sobre o município, mapas rodoviários que cortam o local, das ruas da cidade e da Estrada Real, além de histórico do município, estatísticas e dados técnicos.





Descrição de Imagem: Display da Estrada Real



Totens: são marcos trifaciais, com mais de 5 metros de altura, são instalados na divisa de zona rural com o perímetro urbano. Sua função é informar ao turista que esta cidade pertence a Região da Estrada Real.



Descrição de Imagem: totem da Estrada Real